ena
DATE: 6 Fevereiro, 2015
TIME: 22:00
LOCATION: Rua Capitão Leitão, nº 1, 2800-135 Almada
ENA PÁ 2000 6 Fevereiro, 2015

Ei-los de volta ao Cine Incrível para mais uma noite estrondosa.
10 € para entrar.
É sempre bom comprar com antecedência…
https://www.facebook.com/cineincrivel/events
Sempre em todos os dias de eventos, disponibilizamos bilhetes.

Naturais da Foz do Arelho, os cinco elementos dos Modess & Aderentes começaram por ensaiar numa garagem e por tocar nas discotecas da zona. Depois resolveram ir para Lisboa à procura da sorte. É em Lisboa que conhecem aquele que viria a ser o sexto elemento do grupo.

O grupo decide mudar de nome para Ena Pá 2000. Os seis elementos eram Lello Vilarinho (1) (voz, violoncelo, trompete e bandolim), Pão Diospiro (guitarra sintetizadora), Francis Ferrugem (percussão), Pepito Durex (saxofone, viola, trompa), Manuel Anão (contrabaixo) e Joselito Desirato (bateria).

Concorrem ao 4º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz mas acabam por desistir depois de assinar contrato com a CBS.

Ainda em 1987 é editado o seu primeiro single com os temas “Telephone Call” e “Pão, Amor e Totobola”. As músicas eram do grupo e as letras de Armindo Cerejeira, um poeta popular da sua terra.

Os espectáculos, organizados pelos Modess Aderentes, eram inesquecíveis. No jornal Blitz eram apresentados como um tipo com um funil na cabeça, a cantar canções como “Sexo na Banheira” ou “Mulheres Boas”, e as Valquírias a mexer-se muito e a cantar pouco.

O álbum de estreia foi gravado em Março de 1989 (2) nos estúdios Tchá Tchá Tchá, com produção do próprio grupo e de Moz Carrapa. As misturas seriam feitas no ano seguinte. Após as recusas da Polygram e da EMI, o disco só seria editado no final de 1991, através da El Tatu.

Em Dezembro de 1990 estrearam o palco do Johnny Guitar.

Em 1992 é editado “Enapália 2000″ que é uma transposição “revista e aumentada” para CD do primeiro álbum do grupo.

Manuel João Vieira é entrevistado na 100ª emissão do programa “Pop Off” que foi para o ar duas semanas antes do arranque da Sic e que uma jornalista do DN pensou tratar-se de uma televisão pirata.

O álbum “És Muita Linda” é editado em Novembro de 1994. O disco contou com a participação de Vitorino(3)e Janita Salomé (“Rap Alentejano”), Gimba, João Paulo Feliciano e Bernardo Sassetti.

Lançam o single “Doces Penetrações” em 1996. No ano seguinte é editado o álbum “Opus Gay” com uma capa inspirada nos clássicos da editora Deutsch Gramophone.

Em 1999 é editado o CD “2001 – Odisseia No Chaço”.

Em Março de 2004 foi lançado o álbum “A Luta Continua!”. No disco aparecem temas como “Mulher do Norte”, o velhinho “Rosário”, “Pudim” e “Tourada”. Como convidado especial aparece o lendário guitarrista Filipe Mendes em virtude do anterior guitarrista ter ido para a China.

Em Abril de 2004 actuaram em Fundação de Serralves aquando da iniciativa “6=0 Homeostética – 48th Kavod Party”, que durante dois dias fez uma retrospectiva dos Homeostéticos. Foi também lançado na ocasião o livro “Só Desisto se For Eleito” de Manuel João Vieira.

Em 2005 é editado um DVD com o concerto do dia 30 de Novembro de 2004, realizado no Paradise Garage, por ocasião dos 20 anos de existência do grupo.

O mais recente álbum do grupo – O Álbum Bronco – será lançado em Dezembro de 2011.

(1) O líder do gupo, o carismático Manuel João Vieira, tem mudado de nome: Lello Vilarinho, Lello Marmelo, Lello Minsk, Lello Universal, Conégo Lello, Lello Orgasmo Carlos, etc… No disco de 1999 aparece citado como Lello Nimoi, na realidade Lelo Nimoid, só que uma gralha fez desaparecer o “d”.

«Eu acho que os nomes que um gajo arranja são como as marcas. Tu tens uma fábrica onde produzes vários produtos. Imagina que produzes detergente e lhe dás um nome. Não pode ser o mesmo nome que dás ao sabão. Mas imagina que és japonês e és extremamente diversificado em termos de produtos que podes fabricar. Também produzes carros. Vais ter que ter um outro nome e chamas a uma merda qualquer Omo e a outra chamas…É tudo a mesma coisa…» MJV/Clix

(2) Entretanto, alguns elementos do grupo fizeram parte dos Tina And The Top Ten, “the first portuguese “fake” american band. O grupo era composto por Dr. Top, Tina Costa, Louis Desirat, The baron, Johny Money e Plastic Mimi e Cosmic Rita, nos coros.

(3) Em 1983, Manuel João e os primos “participaram” no disco “Flor de La Mar” de Vitorino. Nessa altura ainda se chamavam Banda Almôndega (no início dos anos 80 contava com Manuel João Vieira e Vitorino). MJV fez arranjos para bandolim nesse disco. Ainda antes dos Ena Pá 2000, o seu primo João Lucas tocava acordeão e ele tocava bandolim e acompanhavam a banda do Vitorino.

CINE INCRÍVEL © 2014. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por WonderLab. Gestão/Programação Alma Danada Associação Criativa